Superação da Separação – A Negociação

Após o rompimento pode ocorrer a necessidade de querer negociar, esse período é aquele onde as pessoas se arrependem da separação. É onde se tenta convencer a si mesmo e ao ex-parceiro de que tudo foi um mal entendido, uma fase, e que irá passar e portanto devem reatar o relacionamento. É onde geralmente um dos envolvidos procura o outro para tentar negociar um retorno ao relacionamento.

Dando continuidade a Série Superação da Separação, neste artigo falarei sobre a Negociação, confira os textos anteriores:

Esse pode ser uma momento muito dolorido e recheado de conflitos internos, onde não se sabe exatamente o que se quer, principalmente se a decisão do rompimento foi nossa.Quem passa por essa fase pode experimentar sensações bastante desagradáveis de incerteza, insegurança e baixa autoestima.
A pessoa nessa situação pode se sentir bastante desvalorizada e menosprezada ao pedir para restabelecer o antigo relacionamento e o ex-parceiro não aceita, mas o pior acontece quando voltam, mas sem que esta seja uma decisão acertada. Muitas vezes nesse estágio surgem os relacionamentos “iô-iô”, quando o casal está em constantes termina e reata.
É preciso estar bastante consciente de suas decisões para não cometer atos que serão doloridos para você e para o outro. Imagine que foi você quem finalizou o relacionamento e o seu antigo parceiro sofreu bastante, e agora você está passando por essa fase, e pensa que cometeu um equivoco, foi precipitada e que precisa reatar, porém o que pode estar acontecendo é que você está passando por essa fase de Negociação, e o mais sensato seria permitir que o tempo passasse e carregasse com ele esse momento ruim. Porém, infelizmente você pediu para voltar, ele aceitou, afinal não queria o fim, mas na sua mais profunda natureza, da qual infelizmente você não tinha conhecimento, não era isso o que você desejava fazer. Então vocês voltaram, e infelizmente mais adiante você acaba por descobrir que não queria voltar, então terminam novamente, e às vezes voltam e depois terminam, causando um imenso desgaste para os envolvidos.
Neste momento é muito importante saber identificar a diferença entre um equivoco na decisão do rompimento ou se está passando por este momento de “negociação”. Infelizmente ninguém poderá responder isso por você, somente você mesma em sua intimidade poderá refletir e chegar a essas conclusões.
E se concluir que sim, está passando por esta fase de negociação, recomendo que respire profundamente, esteja em sua companhia e evite conversar com o ex, sob o forte risco de cometer atitudes das quais não gostaria de tomar. Esse é um bom momento para sair com os amigos.
E se chegar à conclusão de que o rompimento foi um erro, assuma isso para si mesma e converse com o ex, a fim de expor o seu ponto de vista. Mas atenção, ele tem todo o direito de não querer reatar, e aí, paciência, fica a experiência para o próximo relacionamento.
E se vocês reatarem, procurem aprender as lições destes momentos para que não ocorram novamente, tornando o que foi um desentendimento uma base sólida para a construção de um relacionamento saudável e duradouro.

Acredite no Amor e Viva o seu Melhor!!
Pâmi Garcia

Comments

  1. Lu says

    Estou lendo esse post em 2016.
    Nunca tinha pensado dessa maneira. Ja havia lido sobre término e as etapas mas não tinha pensado dessa forma que você expôs.
    Achei bem interessante.
    Pra mim eh bem complicado, 6 anos de relacionamento, muitas idas e vindas.
    Vendo por esse lado, parte de mim pensa que esse sofrimento q eu passo agora eh sincero mas q talvez nao seja verdadeiro.
    Sempre sofro nos términos mas sempre eu quem quero terminar. Talvez eu viva numa eterna fase de negociação.
    Sempre que estamos separados eu consigo fazer planos pensando nela. Na verdade eu acho q a idealizo. E o real acaba não sendo como eu quero. Sempre me culpei por não conseguir entregar o que ela merece, eu sei que sou capaz. Sou capaz mas não conseguia, parecia desperdicio, forçado. Eu guardava todas as intenções boas pra usar num relacionamento futuro hipotético e idealizado. Relacionamento que eu nunca fui capaz de correr atrás por falta de coragem ou auto estima.
    Agora ela não deseja voltar. Dessa vez é diferente, não tenho esperanças nem as quero alimentar.
    Talvez o aprendizado maior seja agora.
    Desculpe o desabafo.
    Obrigado pela ajuda.

  2. renata says

    Oi sou de SP capital, alguém me da uma luz… meu namorado terminou comigo, pq ele tem um filho de 6 anos que mora em Macapá com a mae e o filho ligou corando muito pedindo pra vir morar com ele, mas a mae disse que so deixaria se ela viesse junto… o amor de pai falou mais alto e ele aceitou, oque devo fazer?
    To sofrendo muito não como,nao durmo enfim to sem chão… so choro muito e ele disse que não gosta dela que ta fazendo isso pelo filho e que me ama muito.
    me ajudem por favor.

  3. Tatiane says

    Ola , me separei a poucos dias sei que eu o amo, mais ele disse que n me ama mais quando pendo nisso me da um odio uma raiva imensa dele , me sinto como se tivesse querendo mata-lo (se pudesse), sinto uma ira sem fim .Afinal das contas ele se casou comigo jurando q me amava , que seria pra sempre e agora age dessa forma .Estou sentindo raiva de mim mesma e ainda mais dele . Como fazer pra que isso passe , além do mais se o vejo quero abraça-lo beija-lo e quando estou longe consigo sentir raiva .

  4. pamigarcia says

    É isso aí Lise, tome as rédeas de sua vida, e muita coisa boa surgirá a partir disso.

    Desejo muita felicidade para ti!!
    26 de agosto de 2010 12:34

  5. pamigarcia says

    Pois é Mirna, você deve assumir uma posição, da qual se sente confortável, e manter-se firme. Afinal não é nada agradável viver assim, né?
    27 de agosto de 2010 10:23

  6. pamigarcia says

    Querido Johonny,
    muito obrigada pelas belas palavras.
    Sim, é verdade. A separação deve ser sempre a última das alternativas. E apenas deve ser relaizada após muito se investir no relacionamento. Vale mais a pena reiniciar com a mensma pessoa do que com outra pessoa em um novo relacionamento…

    Beijos!
    27 de setembro de 2010 14:08

  7. pamigarcia says

    Querida Anônima (dia 11 de novembro),
    nesse momento você precisa respirar fundo. Procure acalmar-se. Relaxe. Sei que é difícil ficar tranquila neste momento. Mas, se você deseja recuperar o relacionamento a primeira coisa que terá de fazer é se acalmar.
    Na sequência entre em contato com ele, marque um café e converse com ele sobre sua atitude. Fale para ele quais foram os seus motivos e porque está arrependida e quais são as razões que te faz acreditar que esse relacionamento pode (e deve) continuar.

    IMPORTANTE:
    Você deve ser o mais serena e séria possível nessa conversa. Chore tudo o que tiver de chorar antes, mas não na frente dele. Nessa situação não vai dar certo chorar para ele. Se o fizer ele pode achar que vc o está chantageando, ninguém gosta de ser chantageado. Se fizer o contrário, e for serena e tranquila ele vai apreciar muito a sua maturidade, o que aumentará em muito as chances dele considerar o seu pedido de desculpas.

    Se tiver mais dúvidas me retorne.

    Abraços!!!!!
    10 de dezembro de 2011 11:45

  8. Anônimo disse... says

    Estou separada há 15 dias e estou sofrendo muito, estou sem chão sem saber o que fazer.Num momento de raiva pedi que ele fosse embora mas nunca quis isso.Hoje é o primeiro dia que eu não fui procurá-lo ele sempre dizendo que não.Me dá uma luz ,me diz o que fazer estou desesperada.
    11 de novembro de 2011 12:18

  9. Anônimo disse... says

    Ola Pâmi, vivi um relacionamento de dois anos, morávamos juntas, terminamos devido brigas de desconfianças devido alguns erros do passado mas q devidamente se repetiam algumas vezes,isso foi me deixando insegura e com medo, achei que deveria colocar um ponto final pra que esses erros nao se repetissem mais e para que eu tivesse o valor que merecia. So que ai,ela não me procurou mais, e eu a procurei e chorei, e falei de toda falta que eu estava sentindo, e do vazio que sentia dentro de mim. Acredito que tenha se fortalecido com minha dor, porem, tenho medo de não procurá-la e nunca mais tê-la de volta. Tenho medo de que me esqueça e eu continue sofrendo por amar. Tenho medo do amor que sente por mim acabar. Não consigo fazer nada, e não há nada que eu consiga concentrar, durmo e acordo pensando, não consigo ficar sozinha na minha casa sem que as lembranças nossas me perturbem. O que faço? Por favor, ajude-me!
    5 de novembro de 2011 09:42

  10. Pedro Ribeiro disse... says

    Termminei o meu relacionamento e agora estou desesperado. Estou vivendo sozinho e sinto muito a sua falta. Não sei o que fazer. Estou à beira do abismo.
    25 de outubro de 2010 07:34

  11. Pâmi Garcia disse... says

    Querido Johonny,
    muito obrigada pelas belas palavras.
    Sim, é verdade. A separação deve ser sempre a última das alternativas. E apenas deve ser relaizada após muito se investir no relacionamento. Vale mais a pena reiniciar com a mensma pessoa do que com outra pessoa em um novo relacionamento…

    Beijos!
    27 de setembro de 2010 14:08

  12. JOHNNY disse... says

    Olá a todos!
    acredito que nos encontramos aqui pelo mesmo motivo estamos sofrendo com a separação cada um ao seu jeito. Sabemos que apesar dos psicologos querem fazer uma regra pra cada fase e que sirva para todos isso nao e possivel, cada pessoa e unica e a vida e muito complexa ea experiencia de vida e relacionamento de cada um de nos e diferente por mais que se tente regrar acredito nao ser possivel.
    Acredito que a relacionamentos que nao devam ser reatados pelos variados erros e descaso dos parceiros.
    Porem acredito que exista a chance de reatar o relacionamento, afinal todos erramos e nos arrependemos, pesar essa decisão com a balança do coração sera a media certa pra resposta que vc procura, dar uma segunda chance pra felicidade dos dois tb e valido, nao sejam tão radicais como dizem os psicologos eles ensinam muito bem a finalizar um relacionamento tem as regras pra cada fase, porem vc e quem sabe o valor da relação na sua vida, perdoar e dar uma segunda chance e humanamente aceitavel e possivel, vejo que muitos chegam a nos pregando o fim e somente o fim, como fica a familia como base o pai e mãe eos filhos, isso acabou nao vai existir mais por mais modernas que sejam as mulheres nao creio que elas queram acabar com a base falimiar pois se isso acontecer sera o fim da socieda em geral, nao peço as vcs que se humilhem ou tenham uma vida de tristesa, mas que saiba negociar sua feliciada com seus parceiros conversar muito saber o que o outro esta pensando e fazer ele saber o que vc pensa, salvar o relacionamento depende dos dois lados, mas alguem tem que começar a conversa, chega de tanta banalidade de casamentos que começam e acabam em pouco tempo, casar varias vezes, sem amar realmente pq acredito que depois de cada fim de relacionamento, o proximo tende a ser menos inteso devido ao mendo da entrega deixado pelo trauma de quem ja viveu uma separação no fim as pessoas nao sabem mais o que estao buscando e sempre estaram insastisfeitas com alguma coisa ae e so terminar e começar de novo!! O fim disso sera uma geração de pessoas sozinhas e infelizes no fim da vida com uma coleção de casamentos fracassados….
    27 de setembro de 2010 13:53

  13. Pâmi Garcia disse... says

    Oi Lili,
    de fato, quando envolve filhos a história é completamente diferente, se torna mais complexo mesmo.
    Desejo a você muita luz para ter a clareza e a força para tomar a decisão que trará mais felicidade para todos os envolvidos.
    Beijos!
    27 de agosto de 2010 16:45

  14. Lili disse... says

    Pami, tudo é muito mais difícil quando se tem filhos no meio. Um belo dia, seu marido diz que está confuso e que precisa de um tempo, e eu que tanto desejei ter esta coragem de chegar e por um fim em outras épocas, começo a tremer as pernas, por mais que não tenha certeza do que sinto por esta pessoa, não consigo o deixar partir, negocio e o pior, é que eu sou muito boa em negociação, então eu o convenço. Estamos juntos mas me sinto péssima, como estivesse mendigando que ele fique. A única coisa que eu sei é que eu não quero passar por isto agora, não com um filho de 3 meses e outro de 6 anos. É difícil, Pâmi, é muito difícil.
    27 de agosto de 2010 15:14

  15. Mirna Mara disse... says

    Acho que estou nessa fase. Um intenso vai e volta que não termina nunca e me deixa com as forças exauridas. Sem saber como será meu dia seguinte, se vamos nos ver ou se ele vai sumir. Quando assumo pra mim mesma sua ausência ele volta e me cobra uma posição…
    26 de agosto de 2010 23:34

  16. lise disse... says

    Bah Pâ, tô nessa fase, mas vou ser forte e não vou reatar, preciso ser forte, foram 8 anos de sofrimento, chega de ser traida e humilhada, com certeza, o cosmos, em sua infinita bondade, quer que eu seja feliz, é a primeira vez que eu tomo uma atitude dessas e espero ser forte para ser a única vez, pois me nego a ser infeliz, velha, amarga e sozinha…
    26 de agosto de 2010 07:57

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>